quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Resistindo e amando a vida

O cansaço quer me dominar e destruir
Mas, que a alegria não me abandone
Tantos são os silêncios que me invadem.

Que o sofrimento se desvaneça logo
E meu sacrifício gere a abundância
Que irá reerguer meu viver plenamente
Onde as águas da vida superfluem
Derramando potência e consentimento.

Que a minha angústia se transforme
Em amor, liberdade e possibilidade
Iluminando meu caminhar errante
No decorrer desta fugaz temporalidade.

Um comentário:

Miriam de Sales Oliveira disse...

"Que minha angústia se transforme em amor..."
Que frase dolorosamente linda,minha querida.
Gosto de vir aqui. bjs