quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

[sonhando a vida]


a realidade nasce do sonho
... e o que é o sonho?

é o avesso do real
é o que com-firma
o contrato da existência.

um convite,

a ansiar o céu... as estrelas
sonhar com os anjos ‘da terra’
camuflados de homens e mulheres
que vagueiam nas ruas[ mundo da ilusão].

ilusão?

aquele instante que nos abraça
num banco qualquer d´um jardim
ou daquela [ nossa] praça...

chega com graça, sedutor e delicioso
instante que acreditamos não estarmos sós

aquele momento precioso de amor e amizade.

porque,

na verdade sabemos que -

nascemos sós
estamos sós
morremos sós.

e,

só nossa criativa
imaginação
cinzela toda esta
nossa ‘ pretensão’
... de existentes.

um sonho , nossa viagem...




ALICE LUCONI NASSIF

2 comentários:

Paulo Tamburro. disse...

ALICE,

sou seu seguidor e já faz um tempinho.

Escrivinhador desajeitado, destes cujos textos são encontradados aos milhares em qualquerlojinha de 1,99,sempre tive duas imensas frustrações na vida: Não saber fazer poesia e não ter viajado o quanto eu queria.

Abri em "cronicas", li muitas e a que mais me identifiquei foi aquela na qual, você fala sobre su as viajens que fez/não fez, os outros casamentos que não vieram e nostágica e melancolicamente, sobre nossas idades que deixam os cinquenta , já lá para trás.

Um indesejável retrovisor.

Confesso algumas das minhas limitações pois ,tenho carro e não gosto de dirigir -Mesmo! -tenho tempo e o aproveito muito mal,dinheiro "quase" sobra , mas nunca faltou.

E afinal, o que tem tudo isso com você?

Alice,eu lido muitisimo mal com este negócio chamado de :Terceira idade!

Certa vez, num Shopping da Barra da Tijuca, uns idosos faziam ginástica comandado por uma professora.

Quase chorei!

A professora era original e de fábrica, sem nenhum opcional faltando e dizia para os idosos:

-"Assim, vovô ,levanta a perninha, assim, não muito, cuidado.
Agora mexe o pescocinho bem devargarzinho, cuidado, tá?
Levanta os dois bracinhos e bate feito passarinho, com calma..."

Alice, que coisa constrangedora! kkk

Um verdadeiro filme de terror.

Então, quando você falou em viagens, eu me perguntei, porque não tenho viajado mais e sempre que aquela cena deprimente do shopping me vem a cabeça, essa vontade aumenta e ponho o pé na estrada.

E onde entra, você novamente nesta história?

É que,olhando a foto dos 25 metros de seu jardim me perguntei o que restava mais a não ser horas e momentos para descobrir o segredo do Ypê.

Conhecidos por sua beleza, resistência e durabilidade, acho que então aquela ginasta do shopping estava certa, pois vamos falar sério, não sou mais nenhum Ypê e todo cuidado comigo, realmente é pouco!kkk

Desculpe ter sido tão prolixo, mas sou assim , sempre que posso , viajo.

Um abração carioca.

Alice Luconi disse...

Olá Paulo!

Gostei do (longo) comentário,rs.

Adoro o 'pensamento, que não tem idade, não cansa, não julga, não se chateia ou incomoda com nada... sempre criativo. Ando sempre agarrada nele,rs.

Obrigada pela visita.

Um abraço