sexta-feira, 10 de junho de 2011

Ah! Se eu soubesse onde se esconde a minh´alma...

Ah! Como gostaria de descobrir
Onde se esconde a minh´alma...

A invisibilidade do meu Ser
Potência vital do corpo
A fonte das minhas emoções
Dos meus sentimentos
Das minhas sensações
Dos meus pensamentos
Todos, que regem meu viver...

Queria sussurrar para ela
Devagar, carinhosamente...

Só tu podes me salvar!
Jorrando a vontade, o interesse
O motivo, o amor, a necessidade
Que nutre a vida, o coração...

Controlas minha razão
Minha caprichosa mente
Tenho por ti enorme paixão...

Ah! Se algum poder eu tivesse
Soubesse onde minh´alma se refugia
Lá no fundo profundo do meu Ser
Para ela confessaria...

Se sou pura química, energia
Que te nutre , te irradia
Tenhas pena de mim
Fiques no pólo positivo
Me faça semear o Bem
Me abrace com carinho
Quero amar, quero paz, harmonia...

Neutralize o pólo negativo
Ele deve existir? Tudo bem
Adormeça-o, não o deixes
Despertar, fugir do abrigo
Escondido contigo...

Me ilumines, afastes de mim
O cálice do fel , sofrimento
Não quero maltratar, magoar
Não quero sofrer nem chorar...

Me ajudes a ser inteira, não metade
Verdadeira, autêntica, não aparência
Quero saber semear a felicidade
Quero plantar carinhos, colher afagos
Quero encontrar minha Verdade...


Ah! Se eu soubesse onde se esconde
A minh´alma...

(adormeceria segura nos seus braços)

2 comentários:

Flávio Miguel Mota Pereira disse...

saber até sabes, a alma esconde-se onde nenhum ser humano consegue chegar, por detrás dos sonhos, das marés de pensamentos, do visivel.
Se vivessemos com a alma visivel seria como uma pessoa á beira da sombra que a ajuda a caminhar.

Grande texto, alice, do flávio, (flavito do luso)

Alluconi Nassif disse...

Olá Flavito!

Que belo comentário amigo poeta.
Agradeço tua visita, gostei demais.

Bjs