domingo, 5 de agosto de 2012

(En) cantos julgados... admiráveis


Devagar aparecem saudosos
Nostálgicos do pretérito distante
Onde admiravam se acariciados
Pela s vaidades mútuas vibrantes

Sem acolher as novas nascentes
Nutrientes do novo mundo alterado
Que um dia foi inteiramente espoliado
Pelo abissal império rematado

A lei universal é maré civilizatória
Que devolve aos reais donatários
O grande paraíso outrora admirável
Hoje diferente contaminado

E o acoimo aos amplos senhores
É fazê-los sentirem na carne
O efeito do próprio veneno
Que ferozes disseminaram

Para saldarem seus pecados
As memórias são esquecidas
E os condenados são vitimas
Sofrendo pelas próprias desditas

Assim correm as águas do rio de heráclito
Nunca se banham nas mesmas águas
Os filhos lamentam todas as dívidas
Legado dos cevados pais insaciáveis

Sempre saudosos do magnífico passado
Consolam-se abraçados ‘ inocentes culpados’
Mas a vaidade ainda alimenta a pequena aliança
Que preconceituosa reproduz (en)‘cantos julgados’




2 comentários:

Valéria Cruz disse...

Alice!
Sempre muito reflexiva, mesmo em versos...adoro ler-te!
Bjão
V.

Alice Luconi disse...

Olá Valéria!

Obrigada pelas palavras gentis... saudades tuas.

Bjs,
ALICE